domingo, 1 de junho de 2008

Já tenho ouvido (2)

Ainda do mesmo escritor, referindo-se ao malfadado rotativismo parlamentar, lê-se: " As lamentáveis desordens parlamentares , as violentíssimas e desmandadas polémicas, as mútuas e terríveis recriminações com que, obcecados pela paixão, os partidos se feriam uns aos outros na sua honra, deixaram no País, que assistia espantado a uma tal lavagem pública de roupa suja, o sentimento desalentado que ele exprimia por esta fórmula: - tão bons uns como os outros! ": passava-se isto no ano da graça de 1890, mas o panorama é o mesmo que estamos a viver!

2 comentários:

O Réprobo disse...

E o problema maior foi a identificação da Monarquia com as jogatanas partidárias, coisa em que o Legitimismo nunca entrou.
Beijo

N. disse...

Ora lá está, neste país confirma-se a máxima de que há coisas que nunca mudam. Nem mesmo as vontades de Camões. Vem a calhar que, sobre este maldito neo-rotativismo, acabei de postar também. Um abraço cara Amiga