segunda-feira, 2 de junho de 2008

Porque



fiquei rendida à arte de Botticelli, quando vi, pela primeira vez, a sua «Primavera» na Galeria dos Ofícios, em Florença...

8 comentários:

mike disse...

E posso juntar a minha rendição à sua? A primeira vez que o vi foi, curiosamente, na Capela Sistina, num dos frescos que é a Tentação de Cristo. Acho que há lá mais um ou dois dele. Magnífico.

Cristina Ribeiro disse...

Mike, a leveza das personagens Bottecillianas cativa...

O Réprobo disse...

Também gosto muito, Querida Cristina. No meu escritório tenho, dele, um reprodução da «Madona del Libro», que já publiquei no «...Afinidades...».
Mas por Três graças, tem presentes as de Magritte? Prepare-Se para o pior, eu avisei...
Beijo

Cristina Ribeiro disse...

E como diz no «Afinidades», "quem te avisa teu amigo é"; ai, ai, o que é que será "o pior"?
Beijo

ana v. disse...

Cristina, não pode ser coincidência: Botticelli e Magritte são dois pintores que eu adoro... e agora chego aqui e dou com eles! Também fiquei sem fala, em Florença, a olhar os quadros de Botticelli. Até já escrevi sobre isso. Afinidades... não é?
Beijinho

Cristina Ribeiro disse...

Pois, tudo está interligado, como costuma dizer o autor do«Afinidades»...
Beijinho

minucha disse...

Também tenho um fascínio por Botticelli
mas acho graça ter posto duas imagens da figura que acho mais interessante da Primavera.
Magritte? sempre
mas quem não gosta dos Grandes?

beijinhos

Cristina Ribeiro disse...

Foi para reforçar a ideia de quanto gosto desse pormenor :)
Pois, são tão(para mim, mais), eternos quanto os diamantes...