domingo, 1 de junho de 2008

Porque neste dia

faz anos aquela que foi a primeira amiga que tive no liceu.
Viera de Lisboa para Guimarães havia pouco tempo, e bem cedo nos tornámos inseparáveis. Era a melhor aluna da turma, e vinha de um meio mais sofisticado do que aquele a que estava habituada, mas isso não foi, de modo nenhum, barreira para que entre nós fosse nascendo uma cumplicidade. A nossa turma foi sempre a mesma até termos de escolher a área de estudos a seguir: eu fui para um lado, ela para outro. Começou aí, inevitavelmente, o distanciamento que se viria a aprofundar quando casou...
Tal como eu, era fã dos desenhos animados de Walt Disney- gostava de ver as flores e os animais "no tempo em que estes falavam" ,pelo que procurei um que lhe pudesse agradar.
Parabéns, Ana Maria!

12 comentários:

Júlia Moura Lopes disse...

:-)

Tenho 3 grandes amigas ainda, Cristina, que são do tempo de teenager, desde o 1º ano do liceu. São pessoas incriveis e adoro-as.Uma delas lê diariamente o meu blogue. As outras duas são irmãs e telefonam-me frequentemente e visitamo-nos, pois moram longe. Sem elas, eu perco a identidade..

Perdi muitas amigas pelo caminho, por culpa minha,acho que não alimentei e não quis por algua razão regar a flor...

O Réprobo disse...

Querida Cristina,
e vejo que nessa sintonia de gostos por bicharada tinha os livros de entrar! O desenho é fantástico.

Walt Disney foi também escola que frequentei.
Beijo

Querida Júlia, é inevitável que algumas amizades se descolem de nós, mesmo sem motivação identificável. Ainda guardo Três dos meus oito anos, calcule! Um que até comenta, nas «Afinidades...».
Beijinho

mike disse...

Amigos da primária... ainda há dois ou três que nos vemos pelo menos uma vez por ano. Curioso ter-se lembrado disso, Cristina. :)
Vou usar o seu cantinho para endereçar os parabéns à Ana Maria.

Cristina Ribeiro disse...

Neste caso, Júlia, houve a separar-nos não só a barreira física, de morarmos em sítios diferentes, mas também o facto de a vida dela ter levado uma reviravolta de trezentos graus, quando casou e foi mãe. Agora, só quando por acaso nos encontramos falamos desse tempo que nunca vou esquecer...

Cristina Ribeiro disse...

Paulo, enquanto procurava este desenho, lembrei-me muitas vezes da Beatrix Potter, que só conheci quando adulta mas me fez voltar à infância (acho que uma grande parte de mim nunca se desligou dela, felizmente)
Beijo

cristina ribeiro disse...

Ana Maria...; eternamente criança por ter nascido neste dia :)
Aqueles que têm mais disponibilidade familiar também continuam a encontrar-se,Mike, e como é bom...

Luísa disse...

As amizades de infância são mais simples, íntimas e fraternais, querida Cristina. São flores que quase dispensam rega (Júlia, recorro à sua metáfora). Infelizmente, também já perdi algumas pelo caminho, por razões de associação com maridos da espécie da «erva daninha». :-D

Cristina Ribeiro disse...

É assim mesmo,Luísa, e a vida não se compadece com o facto de alguém já ter sido um dia muito amigo...

minucha disse...

Quem não perdeu amizades pelo caminho.
Nós somos cinco, mas dos teen mais velhos, os 16 anos.
Da infância como o Paulo diz, só tenho amigos homens, mas a desculpa é que era uma maria rapaz, só gostava de futebol e de corridas de carrinhos Dinky Toys

sorriso

fugidia disse...

:-)
Da adolescência/juventude mantenho as duas grandes amigas que sempre tive. E já adulta, ganhei outra grande amiga, para a vida.
Não interessa nada a quantidade. Estas três amigas, todas diferentes, complementam-se e complementam-me.

Ainda que distantes, percebe-se que a estima muito. Parabéns às duas.
:-)

Cristina Ribeiro disse...

Minucha, sabe que também tenho a ideia de que se conservam mais as amizades com homens? e acho que não era maria rapaz :)

Cristina Ribeiro disse...

Fugidia, mesmo que se tenha de enveredar por caminhos diversos, há coisas que, quando são sentidas, ficam para sempre...