quarta-feira, 16 de julho de 2008

Relembrando,

com as minhas irmãs, os passeios de comboio que fazíamos, durante as férias grandes, pelo Alto Minho, partindo da pequena estação de Valença, lembrei a vez em que passámos o dia em Monção, e, sabendo-se já que as memórias se ligam entre si numa associação sem quaisquer entraves, recordei que há tempos, quando se falava de Almeida, o Paulo se perguntava se não seria daí a "Joana d'Arc portuguesa", que, segundo a lenda, terá enganado os inimigos, que faziam cerco à praça, fazendo-os crer que os sitiados gozavam de uma abundância de mantimentos tal que os permitiria enfrentar o assédio sem privações.
Não sei se o caso se terá repetido noutras fortalezas, mas , dada, além do mais, a proximidade geográfica, retive desde sempre o acto de heroísmo da mulher do alcaide de Monção, Deuladeu Martins, quando esta vila foi atacada pelos castelhanos:
«Na guerra entre D. Fernando de Portugal e Henrique II de Castela, a mulher do capitão-mor Vasco Gomes de Abreu, fez levantar o assédio da praça, quasi exhausta de recursos, tomando o expediente de fabricar com a única farinha que possuía , alguns poucos pães, que arrogantemente foi atirar para fora das muralhas, dizendo aos inimigos: "a vós, que não podendo conquistar-nos pela força das armas, nos haveis querido render pela fome, nós, mais humanos e porque, graças a Deus, nos achamos bem providos, vendo que não estaes fartos vos enviamos esse socorro, e vos daremos mais, se o pedirdes"

11 comentários:

fugidia disse...

A história está recheada de mulheres corajosas e com espírito de sacrifício pelo bem comum, querida Cristina.
Beijinho :-)

Cristina Ribeiro disse...

Nós somos Padeiras de Aljubarrota :)
Beijinho, Fugidia

Once disse...

posso garantir-lhe que se repetiu sim Querida Cristina .. não com uma mulher destacada na história mas com toda uma população empenhada na "independência" .. na Aldeia de Monsanto, terra de Meu Pai :)

Mas .. somos verdadeiras Padeiras sim .. ainda hoje, o somos *

Beijinho

Cristina Ribeiro disse...

São tantas as "pequenas histórias" que fazem a nossa História, querida Once.
Beijinho

ana v. disse...

Parece-me que o espírito de sacrifício faz parte do padrão universal feminino de todos os tempos. Pelos filhos, pela família, pela comunidade, pelo país...

Beijinho, Cristina.

Cristina Ribeiro disse...

Olá Ana. Que bom vê-la!
É uma verdade que resiste ao correr do tempo: hoje como ontem..
Beijinho

Júlia Moura Lopes disse...

Meninas, o Paulo encerrou o Afinidades...

Cristina Ribeiro disse...

Júlia: já começámos, no «Porta do Vento», a campanha para o trazer de novo: vamos confiar em que ouvirá os nossos chamados...

Júlia Moura Lopes disse...

eu ´pensava que o Porta do Vento estava em férias e hoje não tinha lá ido. Acabei de sair de lá...

Júlia Moura Lopes disse...

eu ´pensava que o Porta do Vento estava em férias e hoje não tinha lá ido. Acabei de sair de lá...

Nuno Castelo-Branco disse...

A Deuladeu Martins. Hoje em dia, decerto uma sua descendente pediria um subsídio a Madrid... (estou a brincar... a sério).