sexta-feira, 4 de julho de 2008

Por terras da Ribeira Lima


Identificado pelos romanos, mormente por Plínio, O Moço, na sua «História Natural» , como o rio do esquecimento, por ser sítio de beleza tal que qualquer ser humano que o contemplasse tudo o mais esquecia, já os gregos o situavam nos Campos Elísios, paraíso só acessível aos olhos dos bem aventurados, queridos dos deuses.
N'«O Minho Pittoresco», escreve José Augusto Vieira: "Elles foram talvez os que à Ribeira deram o nome de País dos Límicos e que formaram a lenda do Lethes mythologico e dos Campos Elíseos, julgando, pelas impressões da sua alma poetica, ser aqui o logar proprio para esquecer todos os outros do mundo, decerto porque todo o prazer que nos delicia é como um copo de bom vinho que nos embriaga os sentidos(...) A gente esquece-se no embevecimento d'aquella natureza sadia, como um namorado se pode esquecer diante do sorriso da mulher amada."

O mesmo escrevera já Diogo Bernardes: "Junto ao Lima, claro e fresco rio,
Que Lethes se chamou antigamente"

6 comentários:

ana v. disse...

Ponte de Lima é uma beleza!
Tenho saudades de fazer um passeio pelo norte, Cristina. Um dia destes vou fazer-lhe uma visita.
Beijinho, bom fds

Cristina Ribeiro disse...

Foi lá que fiz a minha primeira visita de estudo, Ana, e fizemos um piquenique junto ao rio, debaixo das árvores, sentados na relva. Um programa óptimo para repetirmos numa "tertúlia" blogosférica, não?
Beijinho

Luísa disse...

Querida Cristina, é excelente a promoção que nos faz do seu (e nosso!) Minho. Não tarda, tem-nos aí a todos. ;-)

Cristina Ribeiro disse...

Que bom seria, Luísa! :)

O Réprobo disse...

Ponte de Lima é fantástica, a terra de António Manuel Couto Viana, se me não engano...
Agora, ignorava é que o País dos Lotófagos fosse pelas terras celtas. O Ulisses desviou-se mesmo do caminho, está visto.
Beijo

Cristina Ribeiro disse...

Foram as sereias que levaram a melhor, Paulo ;)

António Manuel Couto Viana ,e da região da Ribeira Lima, mas de Viana do Castelo, aonde vai desaguar o rio.
Beijo