quarta-feira, 28 de maio de 2008

Pela Estrada Fora

Tínhamos vários dias pela frente, e iríamos aproveitar para visitar as várias Aldeias Históricas do distrito da Guarda.
Linhares, no concelho de Celorico da Beira seria a primeira paragem.
Lera já que a sua fundação, atribuída aos Túrdulos, remontava, muito provavelmente, ao século VI A. C., mas que fora durante a Reconquista que sobressaira, dada uma situação geográfica privilegiada, propícia à defesa de toda aquela região, e já no século XII o Castelo de Linhares é referido como uma significativa barreira face às forças de Leão, razão pela qual D. Afonso Henriques lhe veio a conceder foral.
Seria, porém, durante o reinado de D. Manuel I que Linhares viria a conhecer os seus tempos áureos, e disso são testemunho , além do Pelourinho encimado pela esfera armilar, as muitas casas, onde são visíveis sinais da arquitectura que marcou esse período, como as muitas janelas manuelinas que pudemos admirar. Alguns desses solares encontravam-se em ruínas, como o belíssimo palácio dos Corte-Real.
Uma construção que logo se impõe é o Castelo, no alto de um grande maciço granítico, esse sim, bem preservado.

Era, porém, gritante o pouquíssimo movimento que encontrámos nas ruas medievais, ladeadas de graciosa casas de granito e calcetadas com a mesma pedra. Apenas alguns idosos, ávidos de companhia, a quem relatar as muitas histórias que envolvem Linhares da Beira, o que fizeram com notório orgulho.

6 comentários:

O Réprobo disse...

Os horrores do abandono das povações pelas gentes em idade activa. E pensam que fechar escolas, centros de saúde, hospitais e maternidades ajuda...
As fotografias estão muito artisticamente tomadas. São Suas?
Beijo, Querida Cristina

cristina ribeiro disse...

Que elogio,Paulo, a esta fotógrafa de trazer por casa, a quem os irmãos criticam sempre as fotografias :)
Em todas as Aldeias esse abandono era uma constante; os poucos habitantes-idosos- demonstravam o seu contentamento por nos verem lá, e gostavam de conversar...
Beijo

Nuno Castelo-Branco disse...

Quando desaparecerem do planeta, o que acontecerá a todas essas vilas?

Cristina Ribeiro disse...

Uma desolação, Nuno...

Luísa disse...

Querida Cristina, também me entristece imenso esse abandono de pessoas e terras. Tenho a impressão de que se esboçou, há uns anos, entre a gente nova, um movimento de retorno ao interior e ao trabalho no campo, mas presumo que não tenha tido continuidade. É um péssimo sinal.
P.S.: Vou tomando nota destes seus apontamentos turísticos. A região da Guarda, ainda a tenho muito inexplorada.

Cristina Ribeiro disse...

Luísa, o interior desconhecido daquela Beira é tão lindo.

Como cantávamos em pequenos: "Portugal é nosso, e temos obrigação de o conhecer, pois de Norte a Sul muito tem que ver" :)