segunda-feira, 26 de maio de 2008

«Povo que lavas no rio»

"Ainda que meu pai me bata,
E minha mãe me tire a vida,
Minha palavra está dada.
Minha mão está prometida"

Não era muito diferente o cantar da roda de amigas, entre as quais se encontrava a minha mãe, que acompanhava o esfregar da roupa nas pedras do ribeiro que atravessa a aldeia, enquanto os moços as olhavam do cimo da pequena ponte.

8 comentários:

Júlia Moura Lopes disse...

já quase não há lavadoiros públicos...e a vida da aldeia passava toda ali!..

o traje minhoto é lindo!
beijinho

Cristina Ribeiro disse...

As histórias que a minha mãe nos conta, Júlia :)
Já nessa altura o meu pai andava sempre com um livro:- "feito pavão" diz agora; mas na altura bem que gostou que ele lhe tivesse oferecido «A Rosa do Adro» :)

Claro que este lindo traje já não era uso no tempo dela.
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Cristina,
a fotografia é espectacular!

Uma coisa extraordinária que descobri no modo de no Leste, em certas aldeias, se lavar a roupa estava nas raparigas o fazerem com os pés, num quado próximo do das nossas pisas da uva...

Sobre «A Rosa do Adro» presenciei uma cena extraordinária, num stand alfarrabístico de fira de há anos, com um Cavalheiro de respeitável idade berrando como um perdido que queria um exemplar dele... mas em francês!
Beijo

Júlia Moura Lopes disse...

risos

no Douro usava-se lavarem no rio,poucos lavadouros havia.E estendiam os lençóis ao longo da margem que possuia relva e só mais perto da água, areia..

Cristina Ribeiro disse...

É bonita, não é? Encontrei assim umas quantas.

Em criança ainda ajudei a pisar assim as uvas...


O episódio d'«A Rosa do Adro» já se tornou "património" familiar :)

Cristina Ribeiro disse...

De vez em quando, Júlia, a minha mãe suspira:- "aquilo é que eram tempos; divertíamo-nos muito mais do que vocês..."

Tiago Laranjeiro disse...

Belo trajo de cerimónia esse que nos traz. E que belos adereços usa a Menina que o veste.

Ver assim um casal bem vestido, e a Menina com o ouro e com uma fita (ou será um belo ramo? não percebo bem) na mão, só falta mesmo a Cantarinha dos Namorados para completar o "quadro".

cristina ribeiro disse...

É verdade, Tiago, o lenço dos namorados já por aqui passou, agora a "nossa" bela Cantarinha está a fazer-se esperar, qual noiva como a que aí está em cima:)